CEPFS vence prêmio ANA pela segunda vez

ana

Na noite da última quarta-feira, 6 de dezembro, em Brasília, José Dias Campos, coordenador executivo do Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS e a agricultora Adriana Alves, participaram  da cerimônia de entrega do Prêmio ANA 2017, a maior premiação do Brasil sobre o tema água. O CEPFS foi vencedor da categoria Sociedade Civil com a experiência Horta Orgânica com Economia de Água e já acumula dois troféus prêmio ANA.

Os vencedores de nove categorias foram agraciados com o Troféu Prêmio ANA, uma obra feita exclusivamente para a premiação da Agência Nacional de Águas, e com uma viagem para participar do 8º Fórum Mundial da Água, que acontecerá em Brasília de 18 a 23 de março de 2018.

A premiação reconhece iniciativas que contribuem para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos no Brasil, promovendo o combate à poluição e ao desperdício. O Prêmio ANA também dá destaque a trabalhos que apontem caminhos para assegurar água de boa qualidade e em quantidade suficiente para os brasileiros.

Entrevista

José Dias Campos, coordenador executivo do CEPFS

Transformando o Sertão – Qual a importância deste reconhecimento?

José Dias – É sem dúvidas, um reconhecimento importantíssimo, de um órgão governamental de grande credibilidade que é a Agencia Nacional de Águas – ANA. Esse reconhecimento deve motivar não só as famílias que já foram beneficiadas com a iniciativa de Hortas Orgânicas com Economia de Água, mas também, aquelas que ainda não foram, pois o prêmio reconhece como uma alternativa viável para a produção de alimentos saudáveis em regiões semiáridas e a geração de renda a partir da venda do excedente da produção, com uso de pouca água.

Transformando o Sertão – Quais os benefícios desta modalidade de horta quanto a economia de água?

José Dias – A experiência testada, inicialmente, demonstrou uma economia significativa de água, em torno de 80% em relação aos canteiros tradicionais. A medida em que foram colocadas tela de sombrite de 50% de sombreamento, essa economia aumentou ainda mais, podendo chegar até 90% de economia de água comparando aos canteiros convencionais.

 Transformando o Sertão – A quem o CEPFS dedica esta conquista?

José Dias – Dedicamos este prêmio aos agricultores e agricultoras de base familiar que vem desenvolvendo iniciativas no âmbito da convivência com a realidade do clima semiárido. São eles e elas os atores principais dessa importante luta de resistência para se manterem morando e vivendo dignamente em uma região com muitas fragilidades, em decorrência das constantes estiagens prolongadas, ocasionadas pelas mudanças climáticas. Também dedicamos o prêmio ao Irmão Redentorista Urbano, que com sua oficina denominada de Utopia e por meio do PATAC, implantou as primeiras sementes da experiência de canteiros econômicos na região do Agreste e compartimento da Borborema. Dedicamos ainda a toda a equipe: aqueles que ainda estão no CEPFS e aqueles que já passaram e deram suas contribuições para o desenvolvimento das experiências. Claro, não poderíamos deixar de reconhecer também, o papel dos nossos parceiros que permitiram condições financeiras para que pudéssemos apoiar o desenvolvimento das experiências junto às famílias.

Transformando o Sertão – Quais aprendizados este reconhecimento traz para a instituição?

Nesta luta há muitos aprendizados fruto do processo de promoção dos saberes locais, somados com o suporte de acompanhamento técnico que possibilitou, inclusive, inovações importantes na experiência. A todos engajados nessa luta, nossos sinceros agradecimentos, e, nossos parabéns por serem reconhecidos!

CEPFS encerra projeto apoiado pela Misereor com momento de avaliação

 

1. ok

Na última sexta feira (01 de setembro), o Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS reuniu em sua área experimental, na comunidade Riacho das Moças, Matureia – PB, lideranças comunitárias, jovens, agricultores e agricultoras, de comunidades rurais dos municípios de Teixeira, Matureia e Imaculada para avaliar as ações desenvolvidas pelo projeto Sertão Agroecológico e Solidário.

Com a metodologia de Carrossel Temático os participantes avaliaram o projeto destacando os avanços, desafios e perspectivas no âmbito da formação, comunicação e fortalecimento dos Fundos Rotativos. A criação, reativação e qualificação no processo de gestão dos Fundos Rotativos Solidários foram algumas das principais conquistas alcançadas.

Outra ação destacada pelos participantes foi o apoio financeiro para os Fundos Rotativos Solidários de cinco comunidades dos municípios citados. Os recursos foram utilizados de acordo com as necessidades dos integrantes do grupo beneficiado. Construção de cisternas, reformas de telhados, construção de tanques e compra de portas, foram algumas das iniciativas apoiadas.

José Rêgo Neto, destacou a importância do projeto para o fortalecimento da dinâmica do Fundo Rotativo Solidário “foi um projeto muito importante, sobretudo no que se refere ao aprimoramento e ampliação da dinâmica dos Fundos Rotativos Solidários e fortalecimento da agricultura familiar no que se refere a produção de alimentos saudáveis, sempre numa perspectiva de sustentabilidade ambiental e empoderamento social”.

O projeto Sertão Agroecológico e Solidário foi apoiado pela MISEREOR, que é a Obra episcopal da igreja católica da Alemanha para a cooperação ao desenvolvimento.

Trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade comemoram o dia 1º de maio em Teixeira

2

Em clima de comemoração das conquistas adquiridas e também de protesto contra a reforma da previdência, trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade de Teixeira, participaram na noite de ontem, da celebração da santa missa, em comemoração ao dia 1º de Maio, dia do trabalho.

Agricultores, agricultoras, jovens, crianças, trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias, se concentraram em frente à sede do Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS, e seguiram em caminhada até a igreja Matriz de Santa Maria Madalena, onde aconteceu a celebração da santa missa.

Durante a caminhada e a missa os trabalhadores e as trabalhadoras expuseram faixas protestando contra a reforma da previdência do atual governo. Também apresentaram frutos do trabalho.

A comemoração do Dia do Trabalho foi realizada pela Paróquia de Santa Maria Madalena em parceria com o Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS e a União das Associações Comunitárias de Teixeira – UNACT.

O Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS agradece à todos os agricultores e agricultoras que se deslocaram de suas comunidades para participar deste momento celebrativo ao dia do trabalho.

 

 

Páginas: 1 2 3 4 5 ... 98 99 Próximo